sábado, 16 de fevereiro de 2008

CARTA À IGREJA EM TIATIRA

CARTA À IGREJA EM TIATIRA

“E escreve ao anjo da igreja em Tiatira: O Filho de Deus, o que tem olhos como chama de fogo, e pés semelhantes ao bronze polido, diz isto”. Apocalipse 2:18.

Uma misteriosa Babilônia.

Vamos ao Livro do Apocalipse capítulo 2, versículo 18. Estamos chegando com a ajuda do Senhor a Sua mensagem à igreja em Tiatira; isto é, Tiatira foi uma igreja histórica daquela época do Senhor Jesus, do apóstolo João, do Ásia Menor, o que hoje se chama Turquia. Subindo de Éfeso, passando por Esmirna, por Pérgamo, e agora tomamos a direção de Pérgamo para o sudeste, descendo um pouquinho obliquamente desde o norte de Anatólia ou Turquia para o sudeste, uns 32 quilômetros; não é tão longe de Pérgamo; ali estava a cidade histórica de Tiatira onde se deram umas condições sumamente dolorosas ao coração do Senhor e que devem sê-lo também ao coração nosso. Quiçá não tenha uma carta que reflita mais até onde pode cair a igreja, inclusive para provar o que são as profundidades de Satanás; no entanto, o Senhor Jesus a segue tratando de Igreja e segue sendo fiel e segue falando e dando saída; é profunda esta carta. Esta carta a Tiatira representa a maior descida na história da Igreja; se olhamos o que se costuma chamar “a idade das trevas”, eras da escuridão ou do obscurantismo, e não obscurantismo em relação com o chamado iluminismo, senão obscurantismo relativo à espiritualidade, com Cristo; porque hoje em dia algumas pessoas usam a palavra obscurantismo a partir da posição do chamado iluminismo e do racionalismo, mas eu não uso a palavra obscurantismo desde o iluminismo, senão desde a espiritualidade, desde a palavra de Deus. A nenhuma destas sete igreja, o Senhor falou tanto. Se você compara quantos versículos falou a Éfeso - sete; a Esmirna, uma igreja que estava em plena perseguição - quatro; a Pérgamo falou também poucos; depois vocês podem comparar, mas em Tiatira falou com uma dúzia de versículos; é a igreja que Ele mais fala, a que mais dirige Suas palavras; e no entanto, a igreja que caiu em maior profundeza. Antes de ler a mensagem a Tiatira, eu gostaria que lêssemos uma passagem que nos ilustra este processo das igrejas em descida, como depois também relativo à restauração. A igreja foi descendo desde Éfeso por Esmirna até Pérgamo e por Pérgamo até Tiatira; e depois começou a ser restaurada pouco a pouco desde Sardes, Filadélfia até os vencedores de Laodicéia. Laodicéia em si é uma igreja contra a qual o Senhor tem muitas queixas, mas há vencedores sobre essa situação. Para entender esse processo de decadência e restauração da igreja, vamos ao livro de Joel, vamos ler ali algumas expressões do Espírito Santo por este profeta. Primeiramente vamos ao capítulo 1; vou ler desde o versículo 2. Estas palavras foram ditas primeiramente pelo Senhor a Israel; isto aconteceu inicialmente com Israel, antes de serem levados cativos a Babilônia, e depois foram livrados de Babilônia, e regressaram à Jerusalém; mas vocês recordam que no Novo Testamento também há uma misteriosa Babilônia da qual sai e muda para uma Jerusalém celestial. A história de Israel é tipológica; assim que quando vemos esta profecia, tem um primeiro sentido primário gramático-histórico em relação a Israel e num segundo sentido, alegórico ou tipológico em relação à igreja.Então vamos vê nos dois sentidos. Joel 1:2: “2Ouvi isto, anciãos, e escutai todos os moradores da terra. Aconteceu isto em vossos dias, ou nos dias de vossos pais?” Que boa pergunta. Que é o que aconteceu nos dias passados e que está acontecendo em nossos dias? É uma pergunta do Espírito. O Espírito nos pergunta sobre o que aconteceu no povo e diz aqui: “3Disto contareis a vossos filhos, e vossos filhos a seus filhos, e seus filhos à outra geração”. Deus diz que isto contaremos; Deus quer que ponhamos atenção ao sentido da história, da intervenção de Deus, também do diabo e na nossa história.

A árvore comida pela praga

Então diz assim: “4O que deixou o gafanhoto cortador comeu-o o gafanhoto migrador; o que deixou o migrador comeu-o o gafanhoto devorador; o que deixou o devorador comeu-o o gafanhoto destruidor”; ou seja que estamos vendo uma degradação de uma árvore; essa árvore representa ao povo do Senhor, mas primeiro vem uma larva; deixaste teu primeiro amor, as obras dos nicolaítas, e começou essa larva, essa lagarta, a comer primeiro as folhinhas; mas diz: o que deixou a lagarta... A lagarta é a primeira etapa, a larva que começa a comer. Diz: o que ficou da lagarta comeu o migrador; depois já estamos vendo que em Esmirna aparece algo assim que se chama “a sinagoga de Satanás”; no meio da perseguição começa a comer mais e depois diz: “o que ficou do migrador comeu o devorador”; esse é outro animalzinho, já vemos em Pérgamo, que ao que antes era feitos, obras, dos Nicolaítas em Éfeso, sinagoga de Satanás em Esmirna, é doutrina de Balaão e doutrina dos nicolaítas em Pérgamo; e por fim diz: “e o destruidor comeu o que do devorador tinha ficado”; ou seja, o ataque de Satanás contra a árvore do Senhor. Ele disse que Ele era uma árvore e nós éramos os ramos dessa árvore. Ele disse: “Eu sou a videira, vocês os ramos” (João 15:5). Quando o estavam levando à cruz, as mulheres de Jerusalém choravam por Ele, e Ele disse: “28Filhas de Jerusalém, não choreis por mim, senão chorai por vocês mesmas e por vossos filhos. 31Porque se com a árvore verde fazem estas coisas, o que se fará com o seco?” (Lucas 23:28,31). A árvore verde é a vida divina em toda sua preciosa manifestação; agora, Ele tinha que se manifestar na Igreja; nós somos os ramos da vida do Senhor, mas há um ataque de Satanás contra a Igreja, uma luta; bem como o Senhor foi morto na cruz, mas depois pela vida divina ressuscitou, assim também a vida divina que foi dada à Igreja é atacada por Satanás até levar à Igreja às profundidades de Satanás, como vamos ver aqui; no entanto, como o Senhor ressuscitou, começa então a restaurar e a recuperar a parte de Deus na Igreja até vencer. Os últimos vencedores serão vencedores de tudo; mas antes teve um processo de degradação até que o destruidor comeu o que deixou o devorador, que tinha comido o que deixou o migrador; que tinha comido o que deixou a lagarta. Já em Tiatira vemos a condição de máxima decadência da Igreja. O Senhor em vez de ficar calado foi a ela que Ele mais falou, reconheceu nela algumas coisas boas e lhe fez notório, os graves erros.

Crítica textual

Agora sim, vamos ler a mensagem a Tiatira de uma só vez para ter em conta os detalhes textuais, tendo revisado isto, porque cada vez o reviso para que os irmãos o conheçam, mas o importante é o texto. Depois voltamos ao texto sobre nossos passos. Leiamos primeiro de uma só vez a mensagem do Senhor para ter tudo presente ao seguir comentando.“18E escreve ao anjo da igreja em Tiatira: O Filho de Deus, o que tem olhos como chama de fogo, e pés semelhantes ao bronze polido, diz isto: 19Eu conheço tuas obras, e amor, e fé, e serviço, e tua paciência, e que tuas últimas obras são mais numerosas do que as primeiras. 20Mas tenho contra ti...” Esse “umas poucas coisas” mal alguns manuscritos o dizem, não todos; os mais antigos não o dizem, mas resulta que no grego não soa como bem entendido; então alguns escribas agregaram uma palavrinha que ali se traduz em três palavras como para fazê-lo mais gramatical. “Tenho contra ti: que toleras que essa mulher Jezabel”; alguns manuscritos não dizem: “essa”, senão “tua mulher Jezabel”. Uns dizem: “essa”, outros dizem “tua”, e ao comparar uns manuscritos com outros fica difícil decidir qual dos dois será o original. Se a alguns pareceu muito forte chamá-la “tua mulher” e lhe puseram “essa” ou foi ao contrário que dizia “essa” e o quiseram personalizar e disseram: “tua”. Os eruditos não sabem por qual dos dois tipos de manuscritos decidir, assim que deixo para que vocês decidam. Eu penso que ainda que seja uma ou outra coisa, terá muito o que dizer. “Tenho contra ti que essa (ou tua) mulher Jezabel, que se diz profetisa, ensine e seduza a meus servos a fornicar e a comer coisas sacrificadas aos ídolos. 21E lhe dei tempo para que se arrependa, mas não quer arrepender-se de sua fornicação. 22Tenho aqui, eu a jogo em cama, e em grande tribulação aos que com ela adulteram, se não se arrependerem das obras dela. 23E a seus filhos ferirei de morte, e todas as igrejas saberão que eu sou o que vasculha os rins e o coração; (claro, a palavra “mente” era mais entendível, mas o que disse Deus foi “rins”, ou seja, o mais profundo de teu ser; aqui dentro estão os rins. Os rins e o coração, disse o Senhor) e vos darei a cada um segundo vossas obras. 24Mas a vocês e aos demais que estão em Tiatira, a quantos não têm essa doutrina, e não conheceram o que eles chamam as profundidades de Satanás, eu vos digo: Não vos imporei outro ônus; 25mas o que tendes, retende-o até que eu venha. 26Ao que vencer e guardar minhas obras até o fim, eu lhe darei autoridade sobre as nações, 27e as regerá com vara de ferro, e serão quebradas como vaso do oleiro, como eu também a recebi de meu Pai; 28e lhe darei a estrela da manhã. 29O que tem ouvido, ouça o que o Espírito diz às igrejas”.Esta igreja de Tiatira é a primeira igreja à qual o Senhor apela primeiro aos vencedores. Até aqui o Senhor tinha apelado à igreja inteira. O que tem ouvido ouça o que o Espírito diz às igrejas; apela, chama a todas as igrejas e depois menciona aos vencedores. Depois a partir daqui, Tiatira, o Senhor começa a apelar primeiro aos vencedores; a igreja chegou a uma condição tão degradada que o Senhor tem que chamar a vencedores. Não sei se vocês se deram conta de que aparecem vários níveis de pessoas em Tiatira. Por um lado, o Senhor elogia as coisas boas, e por outro lado, repreende as coisas gravíssimas; e, no entanto, o Senhor a todos esses que levam o nome de cristão, que se dizem Seu povo, Ele fala a todos eles.

Sacrifício contínuo

Você encontra coisas muito preciosas como as que aparecem ali no primeiro versículo; diz: “Eu conheço tuas obras, e amor, e fé, e serviço, e tua paciência, e que tuas últimas obras são mais do que as primeiras”. Isto é um grande incentivo e é um incentivo por muitas coisas e o Senhor não iria dizer isso, se isso não existisse. Tanto na Tiatira histórica como no período da história da Igreja que profeticamente está representado pela mensagem a Tiatira, porque estas sete igrejas são tipologias proféticas, ou seja, essas igrejas históricas, o Senhor está falando a essas igrejas históricas e por essas igrejas históricas Ele está profetizando, porque este livro é uma profecia do princípio ao fim. Então temos que o interpretar não só historicamente, senão também profeticamente. Teve uma Tiatira histórica. A palavra Tiatira quer dizer: “sacrifício contínuo”; a palavra “tisiastério”, que é de onde vêm as raízes da palavra Tiatira, quer dizer o altar do incenso, o altar do louvor; então a palavra Tiatira significa “sacrifício contínuo”. Alguns, por causa da presença de Jezabel nesta profecia, chamaram-lhe “mulher dominante”; por causa de Jezabel então relacionaram Tiatira com mulher dominante, mas no grego é “sacrifício contínuo”. Nessa época foi quando se estabeleceu a missa como um sacrifício repetido e onde os alimentos, a farinha, o elemento água misturado com a farinha ou o azeite, o elemento veio (hóstia), foram adorados com adoração latréutica (excelência de Deus e submissão dos homens), como se fosse Deus mesmo, por causa de uma doutrina que surgiu na idade média, que é a doutrina da transubstanciação, com a qual se dizia que os elementos se convertiam na carne e no sangue de Cristo; então como tem que se adorar a Deus e adorá-lo em Cristo, eles então adoraram a hóstia, adoraram a farinha, adoraram o vinho, como se fora a Deus mesmo; isso sucedeu nessa época; e esse sacrifício constante de adoração, quando se levanta, isso é o que quer dizer a missa, um sacrifício contínuo; não o sacrifício único de Cristo que foi feito uma vez para sempre, senão continuado; então chegou a considerar-se um sacrifício contínuo, incessante e isso é o que significa Tiatira.

Pano de fundo geográfico e histórico

Agora, Tiatira era uma cidade que se caracterizava pelas pinturas; inclusive a palavra pintura e Tiatira têm uma relação. Vocês recordam que a primeira convertida de Tiatira foi Lídia; ela era uma vendedora de púrpura de Tiatira, somente que nesse momento estava em Filipos, porque ela, ainda que fosse de Tiatira, comerciava a partir de Tiatira; o que faziam em Tiatira era produzir tintura. Tinha uma raiz de uma planta que eles utilizavam e produziam umas tintas púrpuras e escarlatas, e eles faziam umas telas e as tingiam; esse era o principal negócio de Tiatira. Tiatira também está relacionada com Tiro, pois devido à localização geográfica de Tiatira, e devido ao comércio com Tiro, chegou a ser uma cidade importante, ainda que não tão poderosa como Pérgamo, como Esmirna e como Éfeso em outros assuntos. Tiatira chegou a ser forte no aspecto comercial e no aspecto militar. Por que no aspecto militar? Porque depois de Esmirna, Pérgamo, vinha Tiatira que estava fazendo limite entre o reino de Lisímaco que era para o norte e o de Selêuco que era para o sul; então ficava numa situação fronteiriça; e fixem-se no curioso da localização geográfica de Tiatira. Tiatira tem uma história de mudança constante de governo; há inconstância. Agora estava governando um determinado império, mas como ela ficava em zona fronteiriça, as vezes o outro império prevalecia, então dominava a Tiatira. Tiatira estava num vaivém constante; as vezes reinava o rei de Pérgamo; as vezes reinavam os descendentes de Selêuco, depois reinava outra vez Roma; ou seja que Tiatira estava sempre sob diferentes governos; estava como dizer num vaivém e era um lugar forte quanto a comércio, igual a Tiro. Vocês sabem que Jezabel era filha do rei de Tiro, e vocês sabem a quem se chama espiritualmente o rei de Tiro na Bíblia? Ao diabo. Se vocês quiserem ver, vamos a Ezequiel capítulo 28 e vocês vão dar conta de que por trás do rei de Tiro, o rei físico, estava o rei espiritual, os governadores das trevas deste século. Ezequiel capítulo 28, mostrando que o verdadeiro rei de Tiro não era o fantoche que aparecia como político, senão o espírito de Satanás mesmo que manejava. Vamos vê-lo em Ezequiel 28, e isto o menciono por causa da relação com Tiro e com Jezabel e a relação com o comércio e com Tiatira também. Agora, o que era que se vendia em Tiatira? Vendia telas de púrpura e de carmesim; a púrpura é o que veste o chamado purpurado que é o colégio episcopal, e o escarlata é do colégio cardinalícios; e justamente, isso aparece ali em Tiatira; e Lídia era vendedora das telas; mas essas telas se usavam para essas posições de honra no império romano que depois passaram a ser de honra nas hierarquias romano-papistas.Ezequiel 28:12: “12Filho de homem, levanta lamentações sobre o rei de Tiro”. O que vai falar aqui é de Satanás, porque Satanás é o verdadeiro rei espiritual que maneja ao rei de Tiro; é o personagem que expressa esse tipo de governo, que é a personalidade espiritual, o caráter de Satanás. O Senhor, ao identificar a Satanás por detrás deste rei de Tiro, já fala diretamente ao que está detrás. Fala ao que está detrás, e diz assim: “o rei de Tiro, e diz: Assim disse Jeová, o Senhor: Tu eras o selo da perfeição, cheio de sabedoria e acabamento de formosura. 13No Éden, no horto de Deus estiveste; de toda pedra preciosa era tua vestimenta; de rubi, topázio, diamante, crisólito, cornalina, jaspe, lazulita, turquesa, berilo; de ouro eram feitos os teus pingentes e as tuas lantejoulas.; os primores de teus tamboriles e flautas estiveram preparados para ti no dia de tua criação. 14Tu, querubim da guarda”. Agora vemos quem era o verdadeiro rei de Tiro; não era o fantoche senão o títere, o querubim. O rei físico era o fantoche, o títere era o querubim; por isso Paulo fala em Efésios dos governadores das trevas deste mundo; por isso em Daniel 10, o príncipe de Pérsia, títere, aparecia representado no príncipe da Pérsia natural. O príncipe de Grécia, títere, o espírito principado demoníaco, influenciava o império grego; aqui vemos o que influenciava o governo de Tiro, o comércio e tudo isso, era o mesmo querubim rebelde, o mesmo Satanás.

Pés semelhantes ao bronze polido

Vamos outra vez a Apocalipse 2 para seguir a mensagem a Tiatira; mas temos que ver tudo o que implica a palavra Tiatira, a história de Tiatira, como isso tem uma influência e como isso tem também uma tipologia. A igreja em Tiatira é a igreja numa situação muito difícil; nós lemos em Joel para mostrar até onde se degradou a igreja; e ainda o Senhor a segue chamando igreja. O Senhor diz: Escreve ao anjo da igreja em Tiatira, e diz que alguns chegaram às profundidades de Satanás; isso não aparece em Éfeso, nem em Esmirna, Pérgamo, Sardes, Filadélfia, e nem em Laodicéia; as profundidades de Satanás aparecem somente em Tiatira; e, no entanto, o Senhor a chama “a igreja” e é um candeeiro, e de ouro; mas isso por causa dos vencedores. Vamos ler ali muito lentamente. Como se apresenta o Senhor ao anjo da igreja em Tiatira e à igreja? “O Filho de Deus”; lá eles tinham o culto de Apolo e o culto de uma Sibila, e aqui diz: “O Filho de Deus, o que tem olhos como chama de fogo”; ou seja, o que penetra até o mais profundo, e por isso diz: o que vasculha os rins e o coração, os olhos como chama de fogo. E diz mais: “e pés semelhantes ao bronze polido”; que era uma das coisas que se produzia em Tiatira. Em Tiatira se produzia o bronze polido obtido com ligas de metais que se produzia justamente em Tiatira; faziam escudos de bronze polido, de maneira que as pessoas de Tiatira sabia o que era esse metal e o Senhor se mostra a eles como o que tem os pés de bronze polido; como quem diz: vocês conhecem o processo para que este metal aparece; e eu tenho pés disso, eu passei pelo forno, eu passei pelo juízo, eu vasculho todas as coisas. O pecado é juízo em mim; aqui é onde mais pecado se apresenta; então Ele se apresenta como o que julga o pecado, o que vasculha os rins e o coração; aqui diz “a mente”, mas o Senhor disse: os rins, nefrus, de onde vem a palavra nefritis, ou seja, inflamação dos rins. Essa é a palavra que o Senhor Jesus usou. O que vasculha os nefrus, os rins e o coração. “Olhos como chama de fogo, e seus pés semelhantes ao bronze polido”; é o Senhor que julga o pecado. Como o problema de Tiatira era pecado até o mais profundo, o Senhor se apresenta como o que julga o pecado e o que passou pelo juízo do pecado; é muito profundo. O Senhor faz as duas coisas: por um lado, o juízo do pecado; por isso ele trata com o pecado e por isso ele vai castigar. Diz: “eu a lanço em cama”, etc. “e a seus filhos ferirei de morte”. Ele é o Senhor que julga o pecado, os mais profundos pecados. Caso se arrependerem podem ser livres. Por isso Ele diz: dei-lhes tempo para que se arrependesse; ou seja que o Senhor pode solucionar, se se arrependerem. Como é misericordioso o Senhor! Não só julga o pecado, senão que Ele sofreu pelo pecado para nos livrar do mais profundo pecado; e ainda das profundezas de Satanás o Senhor pode livrar porque Ele é o que tem pés como bronze polido; Ele foi até o Hades, o Seol, e tomou as chaves do inferno e da morte. Então fala aos que são fiéis em Tiatira. Pois apesar da situação tão terrível em que eles se encontravam, ainda assim tinha gente fiel; este período da igreja corresponde à chamada idade média; ou seja, mais ou menos depois do período patrístico. Depois de Constantino esse período patrístico representa a era de Pérgamo. Depois começou o que se chamou a pornocracia, o governo de papas corruptos, de papisas de Roma; até de mulheres, a papisa Joana, que era uma mulher disfarçada de papa e se chamava “João VIII” e era uma papisa; bem como aparece uma Jezabel nesses tempos de pornocracia papal, aparece uma mulher chamada Marosia e outra pessoa chamada Lucrecia Borja, das que vocês ouviram umas barbaridades que sucediam lá no papado, e todas essas prostituições e coisas; compravam o papado por meio de dinheiro, nomeavam a um menino de oito anos de cardeal porque com o posto de cardeal tinha se muitos benefícios que todos os Estados tinham que pagar; e teve papas até de onze anos, e teve papas filhos de papas, uma coisa terrível; ou seja, a igreja e o chamado cristianismo chegou à mais profunda degradação na idade média; inclusive teve papas como um dos Silvestres de quem dizem que foi mago negro; teve vários papas que foram acusados de bruxaria, outros de assassinato, de incesto; muitas coisas se deram; por isso se fala das profundidades de Satanás; isso se viu na história, na idade média, a idade das trevas, século VIII, século IX, século X, século XI, século XII, século XIII, século XIV, século XV; foram os séculos do pior tipo de gente que se dizia cristã, fazendo as piores coisas e se diziam cristãos.

Um remanescente fiel

No entanto, no meio de todo esse sistema, tinha gente santa que não estava nessa posição, mas que tolerava a Jezabel dizer-se o que não era, mas mantinham fidelidade; pessoas como Francisco de Assis, como Bernardo de Claraval, como os pré-reformadores anteriores à Reforma que a vez passada mencionei, como Arnaldo de Brescia, como Jerônimo Savonarola, como Pierre de Bruise, como Henrique de Lausana; estes foram líderes que estiveram subterraneamente sendo fiéis ao Senhor, ensinando a palavra, como também foram John Hus, John Wicleff; todos esses grandes homens de Deus tiveram que se enfrentar a todo esse sistema. Então o Senhor a um grupo fala de ser fiel; a esses diz o Senhor: “Conheço tuas obras, e amor, e fé, e serviço, e tua paciência, e que tuas ultimas obras são mais do que as primeiras. Mas tenho umas poucas coisas contra ti”; aqui está o que o Senhor desaprovava: “que toleras”. Fixa-te, tu vês muitos desses grandes homens santos, como São Francisco de Assis, no entanto, ele mesmo aceitava o papado, aceitava esse sistema, ainda que ele era um santo. Eu lhes contei uma vez a história como ele foi e pediu permissão ao papa Julio II para que se lhe permitisse fazer uma ordem para obedecer o evangelho; pedia permissão ao papa para obedecer o evangelho. O papa, como viu que a Pierre de Bruise e Pedro Valdo e os valdenses não lhes tinham dada permissão e eles tinham feito as coisas a sua maneira, então ele politicamente lhe deu permissão de obedecer o evangelho e aí surgiu a ordem dos franciscanos descalços que se vestiam com túnicas, sempre se amarravam com um cordão e somente comiam o que lhes davam; por isso os chamaram mendicantes, que foram os que evitaram que se perdesse a Europa para o cristianismo; porque se não tivesse tido a reação destes homens, era tal a maldade que tinha nos altos clérigos, que as pessoas teriam tornado ateias, se não tivesse esses grupinho que estavam ali; como dizer, os que não tinham essa doutrina que eles chamam as profundidades de Satanás; ou seja que teve alguns que foram fiéis, mas muitos dos que eram fiéis ao Senhor aceitavam a doutrina nicolaíta, aceitavam o catolicismo, aceitavam a hierarquia papal anti-bíblica; uns não, uns si; então o que o Senhor diz à igreja? “Tenho contra ti que toleras...”; ou seja, que há coisas que o Senhor não quer que toleremos na igreja, e o Senhor nos cobra.

A Jezabel histórica e a espiritual

Fixem-se em que o Senhor não falou com Jezabel; Ele queria que seus representantes, os que andam em Seu Espírito, fossem os que declarassem o que era Jezabel; mas eles a toleraram; então o Senhor diz: “tenho contra ti que toleras que essa mulher”; outros dizem “tua mulher Jezabel, que se diz profetisa”; não que fora, mas que se diz profetisa: “ensine e seduza a meus servos a fornicar e a comer coisas sacrificadas aos ídolos”. Aqui aparece primeiro uma Jezabel histórica, uma mulher chamada Jezabel ou que foi chamada pelo Senhor Jezabel para recordar quem era a Jezabel antiga; já teve uma Jezabel no passado. Quem era a Jezabel do passado nos tempos de Elias? Era a filha do rei de Tiro, uma mulher pagã, adoradora de Baal, adoradora de Astarté, que se casou com o rei Acabe em Samaria e que instaurou o culto a Baal, o culto a Astarté em Israel e perseguiu aos profetas de Deus, e o último que ficou foi Elias e também o procurava para matá-lo e jurou que mataria a Elias; disse-lhe: te matarei; e foi quando Elias teve que fugir ao Sinai caminhando tremendamente e depois teve que voltar outra vez. Essa mulher Jezabel era uma pagã, mas era uma pagã que estava em autoridade sobre o povo de Deus, era a esposa do rei Acabe e exerceu autoridade e impôs sua religião sobre o povo de Deus. Quando o Senhor utiliza esse nome, Ele está fazendo alusão a essa situação; a situação que teve em Israel em tempos de Acabe, quando uma mulher pagã, feiticeira, filha do rei de Tiro, que vocês sabem era o fantoche principal de Satanás nesse tempo, assuntos de comércio, ela se dizia profetisa; não que fora profetisa, mas dizia ser. A quem está comparando Jezabel? À grande prostituta que lemos da vez passada em Apocalipse 17, e que está comparando com esta Jezabel; é a pornocracia papal da idade média que se dizia ser como diz em Apocalipse 18; olhem o que diz essa mulher, Babilônia, a grande Roma; diz no verso 7: “Quanto a si mesma se glorificou e viveu em deleites, dai-lhe em igual medida tormento e pranto; porque diz em seu coração; eu estou sentada como rainha, e não sou viúva, e não verei pranto”. Isso é o que ela diz que está sentada como rainha, não sou viúva e não verei pranto. Ela pretende ser algo, ela não é uma profetisa de Deus, é falsa, não nasceu de novo, ela é pagã, ela não deve ser tolerada pela igreja, mas a igreja estava tolerando a essa mulher Jezabel, que se dizia profetisa, exercia autoridade sobre os servos de Deus, seduzia aos servos de Deus a fornicar e a comer coisas sacrificadas aos ídolos. A fornicação material qualifica a fornicação espiritual; a mistura da palavra de Deus com o paganismo, com o assunto do nepotismo, do dinheiro, dos parentes, da corrupção; tudo isso está qualificado em Jezabel.. Jezabel qualifica à igreja católica romana da idade média, da época do obscurantismo; é a que, quando leres estas palavras, não há outra que possa ser identificada como ela. É que talvez vocês não leram a história, mas tinha épocas onde inclusive até os cadáveres se desenterravam. Um papa desenterrava o cadáver do outro para tirar do cadáver os dedos da bênção e depois o atiravam no Tibre e desfaziam as ordenações eclesiásticas que tinha feito o papa anterior; às vezes tinha três papas brigando entre si. O que chegou a fazer o cristianismo foram coisas terríveis. Da grande prostituta Ele diz que está saciada com o sangue dos servos; instaurou a inquisição, a tortura; torturas terríveis eram feitas. A uma pessoa que estava sendo queimada lhe punham uma estátua da virgem no nariz, diga: salve rainha; o pobre morrendo lá, metiam-lhe a estátua de Maria pelo nariz para que invocasse a Maria, em vez de invocar a Cristo. Se vocês lessem o que foram realmente esses anos terríveis, que até os mesmos historiadores católicos o reconhecem. Nos Anais de Baronio, ali está toda esta história que estou contando e os mesmos o reconhecem; teve uma degradação: o gafanhoto comeu o que restava; teve aí seiva nas raízes para que depois brotasse, alguns clandestinos, perseguidos, como aqueles que mencionei que fizeram algo. Mas aparece Jezabel qualificando essa época, uma posição de governo, aquela grande prostituta, Roma, Babilônia, Jezabel, que se diz profetisa; isto é, pretende falar em nome de Deus e as pessoas a toleravam, inclusive os servos, muitos a toleravam, como mencionei Francisco de Assis, Bernardo de Claraval, eles toleravam o romanismo; foram homens fiéis, mas o Senhor disse: tenho contra ti que toleras esta mulher que se diz... o que dizia ela? Falar em nome de Deus, ser profetisa, que mais? Ensinava, mas o que ensinava? Idolatria e fornicação espiritual e material; então aí está retratada perfeitamente a pornocracia papal dos séculos médios; está perfeitamente profetizado; Jezabel que se diz profetisa e ensina a meus servos; o Senhor reconhece que servos seus estão enganados por esta rainha pagã que reina sobre o povo de Deus, que diz ser profetisa e ensina aos servos do Senhor. “E lhe dei tempo para que se arrependa”; olhem como é o Senhor, “dei-lhe tempo”. Sabem quanto durou essa época? Como mil anos durou o período de Tiatira, porque o período patrístico começa a passar para o período da idade média mais ou menos desde os anos 500 até o 1500, porque surgiu a Reforma; já a reforma é outra época que é a que segue: Sardes; mas como durou mil anos e por isso alguns católicos dizem que esse é o milênio, porque eles reinaram sobre os reis durante esses mil anos, então dizem que esse é o milênio; mas foi uma farsa do milênio, um pseudo-milênio, porque reinaram de forma terrível, não mártires, senão torturadores.“21E lhe dei tempo”; aí está o período que mais durou de todos estes períodos, é Tiatira; no período da igreja o que mais durou, era um cristianismo que o Senhor lhe permitiu séculos e séculos, para ver se se arrependia, mas não quis arrepender-se; o Senhor várias vezes a levou a arrepender-se; quantos concílios procurando reformar essa situação escandalosa e nada, sempre a justificavam. Qualquer que estude a história do catolicismo, a história dos concílios, dá-se conta de que muitas vezes se quis reformar e nunca foi possível. “Dei-lhe tempo”; foi o período mais longo de todos; o Senhor fala doze versículos, permite quase mil anos. “Dei-lhe tempo para que se arrependa, mas não quer arrepender-se de sua fornicação. Eis que Eu a arrojo em cama”; esta palavra cama no grego é clinen, de onde vem a palavra clínica; é cama de doença, arrojo-a em clínica; em cama, mas de clínica, leito de doença, leito de morte, leito de dor; ela tinha fornicado em sua cama, agora em sua cama vai sofrer as dores, na mesma cama onde ela fornicou; ali nessa mesma cama vai sofrer as dores.

Juízo à grande prostituta

Vamos ver um pouco de Apocalipse aqui; depois voltaremos com mais detalhe, mas para adiantar este aspecto, vejamos o que diz da grande prostituta no capítulo 17:16: “E os dez chifres que viste na besta, estes aborrecerão à prostituta”. Ela tinha fornicado com os reis da terra; sempre os núncios estão como os enviados dos embaixadores; sempre o protocolo mais elevado é o do Vaticano; inclusive até mesmo aos Presidentes é ordenado sair de costas e não de frente; e alguns lhe beijam o anel e tudo; fornicando com os reis da terra, sempre. Agora, o que vai acontecer? “Estes aborrecerão à prostituta, e a deixarão desolada e nua; e devorarão suas carnes, e a queimarão com fogo”. É possível, que num próximo conclave para eleger um novo papa ou num próximo concílio, que venham a colocar uma terrível bomba no Vaticano; não uma bomba dessas pequenas, senão uma grande; porque diz que a grande prostituta será devorada, consumida com fogo; esse é o juízo que Deus tem para ela; é muito provável que isso possa suceder. Já muitas vezes teve ataques ao Vaticano, mas aqui diz: será consumida com fogo; não será um incêndio somente, senão será consumida; a queimarão com fogo. Agora, isso não diz que procederá de Bin Laden, senão destes dez que têm o plano do anticristo. Diz que Deus pôs em seus corações o exercer o que Ele quis, pôr-se de acordo e dar seu reino à besta, até que se cumpram as palavras de Deus. Esses reinos europeus darão a autoridade ao anticristo, à besta; mas como não pode vir a besta enquanto não for tirada Roma, então ela será queimada, a prostituta, que é Roma, com fogo, e então virá o anticristo; isso era o que dizia Paulo aos Tessalonicenses.Sabemos quem o detém até agora, até que seja tirado do meio; o império romano; não podia vir o império do anticristo, enquanto estivesse o romano; e não pode prosperar nem a besta, nem o anticristo, até que estes dez reinos queimem a Roma, a prostituta. João diz que a prostituta é Roma. Diz, essa mulher é a cidade que reina sobre os reis da terra, e essa era Roma, não nos equivoquemos; Roma é a grande prostituta, é a Jezabel que fornica com os reis da terra; inclusive servos de Deus, gente que quer servir ao Senhor, mas lhe dão posições na hierarquia e vão dando posições nos bancos: o Banco Ambrosiano, o Banco Vaticano, e uma série de coisas que não dá tempo para contar; demorar-me-ia muito a dizer esses dados. No entanto, vão-se corrompendo; ensina a meus servos a fornicar, e a comer coisas sacrificadas aos ídolos; a idolatria, o paganismo se misturou no cristianismo desde essas posições, desde Roma; isso está profetizado e se cumpriu tal como Deus disse: dei-lhe tempo, quanto tempo? E não quiseram arrepender-se: “Eis que Eu a arrojo em cama”, em clínica, em doença, “e em grande tribulação”. Recorde-se que o Senhor à igreja em Tiatira fala de sua segunda vinda. “25Mas o que tens, (fala aos fiéis) retém até que eu venha”. Que quer dizer: “até que eu venha”? Quer dizer que quando o Senhor vier terá os vencedores de Tiatira que serão recompensados. Quer dizer que o estado de Tiatira, o catolicismo romano, representado em Tiatira, continuará até a vinda de Cristo, porque o Senhor diz aos vencedores para que retenham o que têm até que Ele venha. Quando o Senhor vier, encontrará muita gente no estado de Tiatira. Muitas pessoas católico-romana, alguns ainda em seus negócios, vaticanos, etc., até com narcotráfico e com suicídio de banqueiros, e a pugna dos maçons e o opus-dei por controlar ao Vaticano; todas essas coisas, até que o Senhor venha, porque a grande prostituta será julgada pelo Senhor de duas maneiras: uma maneira, queimada com fogo; outra, o terremoto; o Senhor se lembrará de Babilônia e produzirá um terremoto mundial; o terremoto mundial que falamos aos irmãos. Diz a Bíblia que é por que o Senhor se lembra das fornicações de Babilônia; isso é o que produzirá o terremoto; isso o diz a sétima taça, que é esse terremoto mundial. “22Eis que Eu a lanço em cama, e em grande tribulação aos que com ela adulteram“; os que adulteram com a prostituta em ecumenismo, os que se metem nessas coisas, adulteram com ela; servos do Senhor misturados com ao Vaticano e seus negócios; entrarão em grande tribulação; aí diz, arrojo-os em grande tribulação aos que adulteram com ela. Temos que ter cuidado, não é mesmo irmãos? Não há que adulterar com Jezabel, porque então nos toca grande tribulação. “Se não se arrependerem de suas obras”. Aqui mostra que ela é a que faz essas obras, e que convida ao ecumenismo, faz os grandes negócios e é a que convida ao Vaticano aos pastores, também aos bruxos, também aos muçulmanos e aos rabinos, e lhes manda a passagem, dá-lhes dinheiro, “as obras dela”, ela é a líder. Por isso diz: aos que com ela adulteram, os arrojarei em grande tribulação; a ela em cama e a eles em grande tribulação; “se não se arrependerem de suas obras”. Há que se arrepender das obras de Jezabel, das obras da grande prostituta. “E a seus filhos”; a Jezabel histórica teve filhos naturais, mas a Jezabel espiritual, do período de Tiatira, a grande prostituta, tem filhos espirituais, tem seguidores, tem muitos cardeais, muitos arcebispos, muitos bispos, muitos padres e muitas freiras e pessoas que a segue: “E a seus filhos”, estes são os filhos da grande prostituta: “a seus filhos ferirei de morte”; por isso o Senhor disse: “Saí dela povo meu, para que não participes de seus pecados e não recebais parte de suas pragas”; as pragas são as sete taças da ira; vêm contra a grande prostituta; e se os filhos de Deus, do povo de Deus, não saírem de Babilônia, então sobre eles virão as pragas e essas pragas é a morte. “23E a seus filhos ferirei de morte e todas as igrejas saberão...”; quando virem o castigo de Deus a estas pessoas, “todas as igrejas saberão que eu sou o que vasculha os rins e o coração, e vos darei a cada um segundo vossas obras”. Agora, quer dizer que só teve essa perversidade? Não, teve gente fiel, aqui estão os fiéis, aqui está o remanescente, aqui estão aqueles cristãos que nessa época terrível tiveram que estar em clandestinidade, protestando, ensinando e sendo perseguidos: “Mas a vocês e aos demais que estão em Tiatira”; aqui vemos três níveis: vocês, que é a igreja em geral, a do meio; Jezabel, que é com a que estão fornicando, e os demais que estão em Tiatira, mas que são fiéis. São três níveis: vocês e os demais; tinha falado de Jezabel e seus filhos, que eles o toleram; ainda que não participam, toleram-na; não devem tolerá-la. “A vocês e aos demais que estão em Tiatira, a quantos não têm essa doutrina”. O ensino de fornicação e idolatria e de profecia da Jezabel que pretende ser algo, pretende falar em nome de Deus, diz: eu sou rainha, enriqueci-me, não verei pranto, não serei viúva. Os que não têm essa doutrina. Teve nessa época de Tiatira, nas cidades da idade média, pessoas que não foram romanista, que não foram papista, e o Senhor aqui está nomeando: “os demais que estão em Tiatira”, não eles, os demais que estão em Tiatira e não têm essa doutrina, “e não conheceram o que eles chamam de as profundezas de Satanás”. Para que o Senhor Jesus fale isso, Ele que conhece tudo o que se faz em segredo e para que Ele chegue a dizer que teve pessoas que falavam das profundezas de Satanás, mas teve alguns que não souberam disso, a esses que ignoraram isso, o Senhor os aprova. O Senhor diz: “e não conheceram o que eles chamam as profundezas de Satanás, eu vos digo: Não vos imporei outro ônus; mas o que tendes, retende-o até que eu venha.” Agora, qual era a situação destes vencedores? Clandestinidade, perseguição, a inquisição; então a estes que não estavam nos postos de poder, estes que eram perseguidos e clandestinos, a estes diz o Senhor: “Ao que vencer e guardar minhas obras”, as do Senhor; não é fazer o que passa na nossa cabeça, senão o que o Senhor tem preparado para Ele fazer conosco e nós com Ele. “Guardar minhas obras”; nós temos que guardar Suas obras, o que Ele preparou de antemão para Ele fazer conosco e nós com Ele; se o guardamos, se não deixamos que se perca essa oportunidade, senão que entendamos que isso preparou o Senhor para fazê-lo conosco e nós o fazermos com Ele, “E guardar minhas obras até o fim, eu lhe darei autoridade sobre as nações”; porque eles eram os perseguidos, os degradados, os clandestinos; “lhe darei autoridade”; agora a que dizia ser, irá para a cama de tribulação e fogo; aqui diz: “lhe darei autoridade sobre as nações, e as regerá com vara de ferro, e serão quebradas como o vaso do oleiro, como eu também a recebi de meu Pai”; como recebi autoridade das nações? Diz o Senhor: caminhando meu caminho; se vocês caminham meu caminho estreito, esta será vossa recompensa: autoridade sobre as nações, mas não só uma autoridade, sem mim, senão com este complemento: “e”, é o complemento, porque não se pode ter autoridade sem este complemento: “e lhe darei a estrela da manhã”; agora Jesus, vocês sabem que Ele mesmo se identificou a si mesmo como a estrela da manhã, ali em Apocalipse 22:16; o Senhor Jesus diz: “Eu Jesus enviei meu anjo para vos dar depoimento destas coisas nas igrejas. Eu sou a raiz e a linhagem de Davi, a estrela resplandecente da manhã”. Agora, o Senhor é também o sol de justiça, mas por que não diz: lhe darei o sol de justiça? Porque o sol da justiça é quando Ele vier em Sua segunda vinda; mas antes que o Senhor venha em sua segunda vinda, Ele é a estrela da manhã. Ele é o que nos alumia na escuridão; estas pessoas foram as que tiveram que viver nos tempos escuros; então o Senhor será a luz dos vencedores nos tempos do obscurantismo, nos tempos das trevas. “Lhe darei a estrela da manhã”. Eu me darei a eles para alumiá-los na escuridão. Não só quando Ele vier, esse é o sol de justiça. Ele poderia apresentar-se de outra maneira, mas se apresentou como a estrela da manhã, o que alumia nas idades escuras, na escuridão. Por isso é que a alguns dos servos do Senhor, que foram servos de Deus antes da época da reforma, chamam-lhe por esse nome. Nos livros de história da Igreja, John Wicleff era chamado de o luzeiro da manhã ou a estrela da Reforma; antes de vir a época da Reforma, teve pré-reformadores que fizeram esse trabalho. O Senhor a esses vencedores lhes dará Seu próprio ser, mas neste sentido: “lhe darei a estrela da manhã”, autoridade e a estrela da manhã; e a que diz estar em autoridade, irá para cama em tribulação e morte, e os que estavam sendo perseguidos e clandestinos, mantendo um testemunho em meio às dificuldades, o Senhor não lhes adicionará mais ônus. “Lhe darei a estrela da manhã. O que tem ouvido, ouça o que o Espírito diz às igrejas”. A nós nos diz isto o Espírito; não só a essa época. O que disse a essa época, o que disse a outras igrejas, diz a nós; temos que aprender do sentimento do Senhor a respeito destas coisas. Vamos orar e dar graças ao Senhor.

Nenhum comentário: